Marcelo Copello

Marcelo Copello esteve nos visitando na Vinícola Inconfidência, tendo nos presenteado com o  depoimento aqui apresentado.

Abaixo uma breve descrição do perfil de Marcelo Copello.

Marcelo Copello é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, com expressiva carreira internacional. 
Especialista no mercado e nos negócios dos vinhos, fazendo palestras no Brasil e no exterior, em eventos como a London Wine Fair (Londres).

 

Uma vinícola no Rio de Janeiro

“Outros já tentaram*, ele conseguiu. O engenheiro José Cláudio Rego Aranha está lançando ao mercado o primeiro vinho produzido no estado do Rio de Janeiro.

Vinícola Inconfidência fica em Secretário, na região de Itaipava. Visitei o projeto há cerca de 2 meses (junho/2016) e achei a proposta séria e promissora.

Aposentado do BNDES, ele foi convidado por amigos para comprarem juntos vinhedos em Mendoza-Argentina, mas preferiu algo mais perto. “Toda vez que eu quisesse ver meu vinhedo teria que pegar um avião? Decidi fazer aqui mesmo em minha casa” contou José Cláudio. O projeto então nasceu da preguiça e comodidade? Não. As dificuldades enfrentadas por este pioneiro foram grandes e vencidas com muito trabalho.

Hoje a vinícola conta com quatro hectares de vinhedos em solos de areia sobre argila. Dois implantados em 2010 (com Sauvignon Blanc, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Syrah) e dois em 2015 (Viognier e Syrah).

Para 2016 os planos são plantar castas italianas, como a Nero d’Avola, uma paixão pessoal de José Cláudio.

A intenção é também construir uma vinícola no local, mas enquanto este investimento não for feito as uvas são vinificadas na Epamig (em Caldas-MG) sob a consultoria do engenheiro agrônomo Murillo Regina. “Eu alugo uma van que faz várias viagens, que duram 7 horas cada, sempre noturnas para as uvas não sofrerem com o calor” relata José Cláudio.

A viticultura aqui segue o mesmo sistema de outros projetos capitaneados por Murillo Regina, com a chamada dupla poda (em agosto e janeiro), de forma a manejar as uvas para uma colheita de inverno, em julho, fugindo do calor e da umidade.

O projeto mal foi lançado e já causa grande curiosidade. José Cláudio conta que já é procurado por curiosos que visitam a região em busca do vinho, o que o motivou a ter como próximo passo o investimento em enoturismo, com a construção de uma loja no local.

Os dois primeiros vinhos a serem lançados comercialmente (o que está previsto para setembro), são o Sauvignon Blanc 2015 e o Cabernet Franc 2015. São vinhos jovens, sem madeira e de videiras ainda na infância.

 Ambos foram avaliados em primeira mão na Grande Prova Vinhos do Brasil em junho, com 82 pontos para o Cabernet Franc e 85 pontos para o Sauvignon Blanc – uma bela estréia! (Veja Quais são os melhores vinhos do Brasil?)

Sauvignon Blanc tem cor muito clara, branco papel, aroma delicado e floral, paladar magrinho, macio e fresco, formando um conjunto muito bem elaborado e com tipicidade da casta.
Cabernet Franc (que leva 3% de Merlot e 5% de Cabernet Sauvignon) tem cor rubi violácea entre clara e escura, com notas verdes típicas da casta, notas de café, amora, paladar ainda um pouco desequilibrado, precisando mais tempo de garrafa.

(* O estado do Rio já registrou tentativas de fazer vinhos nas montanhas fluminenses, em Macuco, próximo à cidade Friburgo e no Vale das Videiras, em Petrópolis, mas o clima chuvoso e propensão às pragas frustrou as empreitadas.)”